Mercúrio torna aves homossexuais, diz estudo

4 de dez de 2010 00:13 Postado por José Eduardo 6 comentários

A contaminação por mercúrio afeta o comportamento dos íbis brancos tornando-os homossexuais, segundo um estudo realizado por pesquisadores da Flórida, nos Estados Unidos, e do Sri Lanka. A pesquisa - publicada na revista científica Proceedings of the Royal Society B - tinha o objetivo de descobrir por que as aves se reproduzem menos quando há mercúrio em seus alimentos, mas os resultados surpreenderam até mesmo os cientistas. "Nós sabíamos que o mercúrio podia reduzir seus níveis de testosterona (hormônio masculino), mas não esperávamos isso", disse Peter Frederick, da Universidade da Flórida, que liderou o estudo. A contaminação por mercúrio - que pode vir da queima de carvão e de lixo, além de minas - é especialmente comum em regiões pantanosas.

Macho com macho A equipe de pesquisadores alimentou os íbis brancos com comprimidos que continham a mesma concentração de mercúrio encontrada em camarões e lagostins que servem de alimento para as aves em áreas de pântano. Quanto mais alta a dose de mercúrio nos comprimidos, mais alta era a probabilidade de um íbis macho acasalar com outro macho. De acordo com os cientistas, o estudo prova que o mercúrio pode reduzir drasticamente a reprodução dos pássaros e possivelmente de outros animais. Ainda não se sabe exatamente como esse mecanismo funciona, mas é sabido que o mercúrio altera os sinais hormonais, o que poderia ter um impacto direto no comportamento sexual mediado por esses hormônios. Além disso, os machos contaminados com taxas mais altas de mercúrio realizavam menos rituais de acasalamento, o que tornava mais provável que eles fossem "ignorados" pelas fêmeas.

Reações: 

Camaleão do tamanho de uma unha humana é encontrado em Madagascar

00:03 Postado por José Eduardo 7 comentários

Madagascar é o país com a maior diversidade de fauna e flora de todo o planeta, abrigando milhares de espécies de pássaros, répteis e anfíbios, muitos deles existentes apenas em seu território. Exemplo desta variedade exclusiva é a descoberta do fotógrafo inglês Will Burrard-Lucas, de 27 anos.

Em visita ao parque Amber Mountain, ele conseguiu fotografar um camaleão do tamanho de uma unha humana. Segundo o jornal Daily Mail, a espécie é chamada de brookesia e possui a mesma capacidade de camuflagem que os outros camaleões, escondendo-se facilmente entre folhas e gravetos.

Outra característica que não agrada os insetos que estão no cardápio preferido destes minúsculos lagartos são a eficiência e o tamanho de sua língua, que chega a medir o mesmo tamanho do corpo inteiro do bichinho.





Reações: